Categoria: CARTA DE SÃO PAULO

Do justo lugar ao objeto no cartel(1)

Niraldo Santos (Associado da CLIPP) Como o mais-um um pode ser um agente provocador e, ao mesmo tempo, trabalhador? Miller(2) nos diz que uma elaboração é sempre provocada, uma vez que a vocação do ser humano está para a preguiça. A partir da teoria dos Discursos em Lacan, Miller nos aponta o discurso que melhor […]

Leia Mais

Um pequeno ensaio sobre o ódio

Maria de Fátima S. Luzia (Associada ao CLIN-a) “Não se odiaria, se não se tivesse que se odiar a si mesmo ao mesmo tempo” Nimier 1951 O que nos faz odiar? Amar e odiar demais, signos de um tempo que nos mostram o quanto podemos ser mortíferos na relação com esses afetos. Em sua “Introdução […]

Leia Mais

A presença do discurso do analista faz (des)conexão com o discurso institucional?(1)

Natália Cassim “Nós não fazemos diferença, em psicanálise, entre a realidade psíquica e a realidade social. A realidade psíquica é a realidade social” J. –A. Miller(2) O Hospital de Amor é uma instituição de saúde filantrópica brasileira especializada no tratamento e prevenção de câncer com sede em Barretos-SP, e era nomeada Hospital de Câncer de […]

Leia Mais

A psicanálise na era do homem-empresa e do significante “neuro”(1)

Daniela de Camargo Barros Affonso (EBP/AMP) A questão que me propus trabalhar neste cartel – “A psicanálise nos tempos das novas formas de autoritarismo” – origina-se da ideia de que as formas conhecidas do autoritarismo se tornaram insuficientes para explicar o enfraquecimento da democracia. Para Laval e Dardot, em A nova razão do mundo: ensaio […]

Leia Mais

O cartel e a psicologia das redes sociais(1)

Rodrigo Lyra Carvalho (EBP/AMP) O título dessa Jornada traz três termos objetos usuais de nossa atenção: massas, grupos e cartéis. Rede social é o que perturba a lista, o unheimlich, o estranho familiar. A ideia de rede ocupou lugar central no ensino de Lacan. Em 1968 ele afirmou que havia entrado “na psicanálise com uma […]

Leia Mais

Abertura da Jornada de Cartéis EBP-Seção SP(1)

Ariel Bogochvol (EBP/AMP) A Jornada de Cartéis é o momento institucional privilegiado para apresentação e discussão dos produtos dos cartéis. Os cartéis foram propostos por Lacan no Ato de Fundação da EFP, em 1964, como os órgãos principais de um organismo cuja finalidade era realizar “um trabalho que, no campo aberto por Freud, restaurasse a […]

Leia Mais

Comentário sobre o Seminário, livro 11¹

Sandra Arruda Grostein (EBP/AMP) Este texto é um breve comentário sobre uma passagem do Seminário 11, de Lacan, visando uma atualização do que era proposto nos anos 60, nos seguintes termos: “Esse objeto paradoxal, único, especificado, que chamamos de objeto a – retomá-lo seria repisá-lo. Mas eu o presentifico… sublinhando que o analisando diz a […]

Leia Mais

O narcisismo ontem e hoje

Rosângela Carboni Castro Turim (associada da CLIPP) O tema da atividade Leituras na Biblioteca da Seção São Paulo “Freud e o amor”, que aconteceu na CLIPP, no dia 13 de setembro, coordenada por Perpétua Medrado, com a convidada Marizilda Paulino, foi “Introdução ao Narcisismo”(1), texto de Freud de 1914. Marizilda resgatou o conceito trazido para […]

Leia Mais

Escola-sujeito: questões sobre o sujeito¹

Paola Salinas (EBP/AMP) Este texto se insere no trabalho de conversação do Conselho da EBP-Seção SP a partir do texto “Teoria de Turim”(2). Decantaram-se significantes que orientaram as apresentações feitas, a saber, o coletivo, o Ideal, a interpretação e o sujeito. O termo sujeito que compõe a expressão Escola-sujeito é o que me coube abordar. […]

Leia Mais

Supervisão e passe: descontextualizados da experiência analítica

Maria do Carmo Dias Batista (EBP/AMP) A “Proposição de 9 de outubro de 1967” está inscrita em um contexto científico, como aponta Miller nos capítulos XXI e XXII de “O Banquete dos Analistas”(1). Esta inscrição permitiria à “Proposição” ser avaliada em termos de fracasso ou sucesso, bem como a experiência do passe dela decorrente. Lacan, […]

Leia Mais