Cartéis

O que é um cartel?

O cartel é um pequeno grupo constituído para estudar temas da psicanálise e suas conexões, composto por psicanalistas e por pessoas interessadas e que tem como finalidade a produção de um trabalho próprio de cada um dos participantes.

História

É um dispositivo de trabalho criado por Lacan, baseado na experiência de psiquiatras e psicanalistas ingleses (Bion, Rickmann) com grupos terapêuticos.

Foi proposto em 1964, no Ato de Fundação, como a forma principal de estudo, transmissão, formação e produção de psicanálise na Escola Freudiana de Paris (EFP). Em 1980 foi proposto como órgão de base da Escola da Causa Freudiana (ECF), criada após a dissolução da EFP.

“Para a execução do trabalho, adotaremos o princípio de uma elaboração apoiada num pequeno grupo. Cada um deles se comporá de no mínimo três pessoas e no máximo cinco, sendo quatro a justa medida, mais-um encarregado da seleção, da discussão e do destino a ser reservado ao trabalho de cada um”.

O ideal de constituir uma instituição psicanalítica baseada em cartéis e não nos modos habituais de formação em psicanálise – conferências, seminários, cursos – norteia, desde então, as escolas de orientação lacaniana no mundo.

Participantes

Podem constituir um cartel psicanalistas membros e não membros da EBP e todos aqueles que queiram estudar a psicanálise e suas conexões. Na sua forma standard, quatro pessoas se escolhem em função de suas afinidades e do tema comum.

Tema comum e de cada um

Qualquer assunto vinculado à psicanálise – conceitos, práxis, textos de referência, casos, conexões – pode ser um tema do cartel. A partir do tema comum, cada um define a questão que vai trabalhar, objeto de sua pesquisa pessoal.

O mais-um

É escolhido pelos cartelizantes e tem como função provocar a elaboração dos trabalhos e zelar pelos efeitos internos da empresa. Deve ocupar um lugar diferente do líder tradicional, sem encarnar a maestria e o suposto saber. Integra-se ao cartel como um dos seus membros devendo também produzir seu próprio trabalho. Por responder pela orientação do cartel, deve ser um membro da EBP ou, caso não seja, manter uma relação muito próxima com a Escola

Como trabalha o cartel?

Cada cartel decide a sua freqüência e forma de trabalho. Existem cartéis que se reúnem semanalmente, mensalmente, presencialmente, online. Internamente, podem adotar quaisquer modalidades de ensino e transmissão de psicanálise – discussão de textos, exposições escritas, seminários.

O produto próprio de cada um

O trabalho no cartel deve resultar num produto que é próprio de cada participante e que revela a maneira como tece o seu vínculo com a psicanálise. Esse produto deverá ser apresentado à comunidade em jornadas de cartéis, encontros ou publicações.

Duração

O cartel pode durar dois anos no máximo. Após esse período deverá dissolver-se para evitar o efeito-cola próprio dos grupos.

Permutação

Dissolvido o cartel, os cartelizantes constituem novos cartéis.

E-mail para contato: [email protected]

Proposta de trabalho da Diretoria de Cartéis e Intercâmbios (Biênio 2021-2023)

Grande parte das atividades pensadas pela diretoria se darão fundamentalmente através do trabalho em cartel, como os cartéis de membros e as atividades abertas às quartas-feiras. Frente à pandemia que nos assolou desde o início de 2020, o cartel foi uma das respostas dada pela Escola como modo de manter a transferência de trabalho, num mundo que nos convocou ao distanciamento e o virtual. Lacan enfatiza todo trabalho via cartel, e não por seminários, conferências e cursos. É o “órgão de base” da Escola, “máquina de guerra contra o didata” como diz Miller, e funciona como uma dobradiça entre o dentro e o fora. A diretoria aposta que esta base de trabalho possa, como tal, promover e sustentar o trabalho coletivo, além de ser o lugar privilegiado do ensino da psicanálise.

Muitas das atividades propostas por esta diretoria seguem o que já vinha sendo produzido nas gestões anteriores: semestralmente iremos propor um “procura-se cartel”, o acompanhamento dos cartéis declarados, o auxílio àqueles que se aproximam deste dispositivo e da Escola, as atividades de cartéis relâmpagos, além de atividades pontuais sobre o tema. Teremos também os cartéis dirigidos para as Jornadas da Seção SP, para os eventos do Campo freudiano, e finalmente o momento privilegiado para recolher os produtos dos cartelizantes em nossa Jornada de cartéis que acontecerá em dezembro deste ano, encerrando as atividades de 2021 da Seção SP. Outro enfoque desta diretoria são os intercâmbios, os quais terão também seu lugar de destaque, assim como a proposta de trazer à cena o debate em torno do virtual.

Por fim, gostaria de destacar o interesse dessa diretoria em animar as publicações dos produtos de cartéis, assim como o que é produzido a partir dos intercâmbios. Um trabalho que possa fazer a interlocução com os meios de publicação, sobretudo junto à Carta de São Paulo. A comissão trabalha em cartel e visa as contribuições epistêmicas sobre o tema, estando atenta ao que é produzido em torno de nossa comunidade analítica.

  1. Modo de funcionamento da comissão:

O trabalho dentro desta diretoria se dará pelo próprio trabalho em cartel. A partir desta proposta, visa-se compreender tanto o lado epistêmico quanto operacional e territorial que os cartéis e intercâmbios demandam.

De um lado, um cartel irá se voltar para as questões teóricas sobre o que é um cartel na Escola de Lacan, assim como discussões em torno da política e da construção de atividades para a comunidade analítica, o que também inclui os intercâmbios. Por outro lado, seus integrantes serão responsáveis por manter o laço entre as principais cidades que possuem membros da Seção São Paulo, sobretudo no que diz respeito à procura de interessados em formar cartel, às atividades de intercâmbio fora da capital paulista e outras, como por exemplo, as atividades de cartel relâmpago.

 Atividades e tarefas voltadas para os cartéis:

Além das atividades propostas para a comunidade analítica em torno da Seção São Paulo, outras tarefas para o bom funcionamento dos cartéis serão executadas, a saber:

Procura-se cartel: atividade realizada semestralmente com a intenção de reunir interessados em formar cartel. Essa atividade é essencial também para se ter um contato mais direto com quem se aproxima da Escola, sempre tendo em vista a função dobradiça do cartel.

Atualização do catálogo e acompanhamento estatístico: todos os cartéis declarados são enviados diretamente para a diretoria nacional de cartéis da EBP, porém, quando um cartel é dissolvido, é função da diretoria da seção sinalizar ao responsável do catálogo. Além deste acompanhamento, será fundamental o balanço do número de cartéis inscritos, seus temas, assim como o número de membros participantes. Muito além de mera estatística, esse trabalho visa maior compreensão da transferência da comunidade com os cartéis e suas variações ao longo do tempo.

Acompanhamento dos cartéis em andamento nas cidades: dentro da comissão de cartéis haverá integrantes de diferentes localidades do território da Seção São Paulo (capital, Campinas, Ribeirão Preto e São José dos Campos), os quais auxiliarão no acompanhamento dos diversos cartéis formados, assim como servirão de interlocutores daqueles que desejam se aproximar da Seção.

Atividades sobre o tema: atividades pontuais para discutir com os membros da Seção SP e não-membros questões relativas ao cartel, como por exemplo: a política; o cartel e a garantia; o cartel e o passe; a função do mais-um; o cartel virtual etc.

Cartéis “relâmpagos”: proposta de atividade na qual um texto e tema é escolhido. Após uma breve apresentação sobre o que é o cartel e sobre o tema, são formados cartéis “relâmpagos”, que se dissolvem no mesmo dia, para trabalhar o texto.

  1. Sobre os intercâmbios:

Junto à comissão, será proposto uma investigação em torno dos intercâmbios, assim como a viabilização de atividades. Além disso, a questão política do intercâmbio será tema de discussão. Há também a possibilidade de atividades em parceria com a diretoria de biblioteca.

  1. Jornada de Cartéis da EBP-SP 2021:

A já tradicional Jornada de cartéis encerrará as atividades de cada ano letivo. Para o ano de 2021, a Jornada de cartéis será realizada na modalidade online. Data: dezembro de 2021.Jornadas da Seção São Paulo:

O trabalho da diretoria de cartéis é fundamental na organização e execução das Jornadas da Seção. Tanto no ano de 2021, quanto em 2022, a diretoria será responsável pela viabilização da montagem de cartéis em torno do tema de cada Jornadas, uma vez que se entende a importância desse espaço privilegiado para a transferência de trabalho e a implicação da comunidade no evento.

  1. Sobre outras atividades do Campo freudiano:

O trabalho da diretoria de cartéis também será voltado para os eventos maiores do Campo freudiano, sempre visando o incentivo na formação de cartéis. Atualmente, o principal evento que a diretoria estará visando é o X ENAPOL.

  1. Reflexões sobre o virtual:

Frente a pandemia que vem nos assolando desde março de 2020, uma das respostas dada pela Escola como modo de manter a transferência de trabalho, num mundo que nos convocou ao distanciamento e o virtual, foi o cartel. É proposta dessa diretoria trazer à cena o debate em torno da modalidade virtual, pois, se por um lado a perspectiva é de nos mantermos no modo remoto até o final do ano de 2021, por outro devemos considerar que os cartéis já vinham ocorrendo por esta via antes do surgimento da Covid-19. Quais efeitos estamos recolhendo? Como continuar pensando a formação dos cartéis online? Como manejar e compreender a formação de diversos pequenos grupos que incluem cartelizantes tanto de São Paulo quanto de outros estados brasileiros e do mundo?

  1. Das publicações:

Um dos interesses da diretoria é em animar a publicação em torno do trabalho em cartéis, assim como o que é produzido a partir de intercâmbios. Além do funcionamento da comissão que visa a contribuição epistêmica, tem-se a proposta de publicar o produto dos cartelizantes ligados à Seção SP, podendo oferecer mais um destino, além do que já existe na Jornada de cartéis. Um trabalho que possa fazer a interlocução com meios de publicação, sobretudo junto à Carta de São Paulo e ao boletim Dobradiça.

  1. Sobre o trabalho conjunto da Diretoria:

De modo geral, a proposta da Diretoria da EBP-SP pretende desenvolver as atividades a partir do trabalho em cartel. Junto à diretoria geral da EBP-SP, a proposta de trabalho dessa gestão visa reinserir o cartel como modo fundamental de trabalho para as atividades da Seção. A diretoria de cartéis estará diretamente envolvida na formação dos grupos, sua inscrição no catálogo, assim como seu acompanhamento. Os detalhes podem ser conferidos na proposta da Diretoria Geral da EBP-SP.

Nesta experiência assumindo um cargo de diretoria na Escola, sei que estou em boa companhia e agradeço a confiança e parceria de minhas colegas Alessandra, Daniela e Fabiola. Agradeço também a antiga diretoria, em especial a Marilsa Basso que me passa o bastão. Que todos se sintam convocados ao trabalho!

  • Gustavo Oliveira MenezesDiretor de Cartéis e Intercâmbio EBP-SP 2021-23
  • Comissão de Cartéis e Intercâmbio EBP-SP 2021-23:
    • Ana Paula Borges
    • Camila Popadiuk
    • Eduardo César Benedicto
    • Flávia dos Santos Corpas
    • Janaína de Paula Costa Veríssimo
    • Maria de Lourdes Mattos
    • Patrícia Ferranti Bichara

E-mail para contato: [email protected]