Tel.:(11) 3081-8947  |   CONTATO
  |    |    |  

A CONSTRUÇÃO DO CASO CLÍNICO

2020-04-26 17:00 - 19:00
Sede EBP SP
Phone:(11) 3081-8947
Address: R. João Moura, 680 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05412-001, Brasil

Trata-se de um espaço para argumentar tudo o que podemos considerar obvio: Como se contrói um caso? Por que e para que haveria de construir-se um caso? Quem constrói o caso? Da história à lógica. A crise do relato de caso em psicanálise: Falsas oposições; falsos dilemas. Função da supervisão, dos seminários clínicos, da apresentação de pacientes. Dos dois tipos de sequências nas construções de caso: As do início do tratamento; As do final. Os testemunhos de pase fazem parte da construção de um caso clínico? Essas e outras questões clínico-epistêmicas serão abordadas no seminário, onde eventualmente contaremos com convidados para apresentar casos e deixar-nos ensinar.

Coordenação: Blanca Musachi Psicanalista, membro da Escola Brasileira de Psicanálise e da Associação Mundial de Psicanálise

Datas do semestre: Março: 19/3; Abril: 26/4; maio: 21/5; junho:18/6; julho: 23/7.

Related upcoming events

  • 2020-04-04 10:00 - 2020-04-04 12:00

    A proposta deste Seminário é a de estudar um dos quatro conceitos fundamentais da psicanálise: o inconsciente, de Freud a Lacan. O que sabemos sobre o inconsciente? E de sua articulação? Nosso percurso incidirá sobre a passagem do saber sobre o inconsciente para o consentimento com a experiência do inconsciente na análise, do inconsciente transferencial em direção ao inconsciente real.

    Coordenação: Eliana Machado Figueiredo Membro da EBP/AMP

    Local: Rua Antônio Meyer, 228, Centro, Mogi das Cruzes

    Datas do Semestre: 07/03, 04/04, 09/05 e 06/06

  • 2020-04-25 10:00 - 2020-04-25 12:00

    Segundo Lacan, “a vida se estrutura a partir de um nó”[1] assim, parto das Peças Soltas e localizadas no corpo fragmentado, no Real, Simbólico e Imaginário disjuntos, na noção de sinthoma. Trata-se de “uma peça carente de função”[2], que se separa para disfuncionar e que permitiu Lacan encontrar em Joyce o que se faz de resíduo como eco da linguagem e com suas manobras, construir seu nó singular. Se a modernidade evidencia que não há relação sexual e se sabe que tudo é semblante, não é à toa que verificamos a insistência do retorno do Outro dos mandamentos em contraposição ao sinthoma, às peças soltas com a qual cabe a cada um encontrar uma função que sustente sua existência. É pela via dos nós que partiremos não sem rumo e sim pela experiência analítica, abertos à contingência para saber algo sobre a questão: De que modo a psicanálise serve à vida? [1] Lacan J.: A terceira, in Opção Lacaniana 62, dezembro de 2011. [2] Miller, J-A.: Bricolaje, in Piezas Sueltas, Ed Paidós, BA, 2013.

    Coordenação : Silvia Sato Psicanalista, membro de EBP/AMP

    Datas do semestre 25/04 (às 10h), 29/05, 19/06

  • 2020-05-09 10:00 - 2020-05-09 12:00

    A proposta deste Seminário é a de estudar um dos quatro conceitos fundamentais da psicanálise: o inconsciente, de Freud a Lacan. O que sabemos sobre o inconsciente? E de sua articulação? Nosso percurso incidirá sobre a passagem do saber sobre o inconsciente para o consentimento com a experiência do inconsciente na análise, do inconsciente transferencial em direção ao inconsciente real.

    Coordenação: Eliana Machado Figueiredo Membro da EBP/AMP

    Local: Rua Antônio Meyer, 228, Centro, Mogi das Cruzes

    Datas do Semestre: 07/03, 04/04, 09/05 e 06/06

  • 2020-05-21 17:00 - 2020-05-21 19:00

    Trata-se de um espaço para argumentar tudo o que podemos considerar obvio: Como se contrói um caso? Por que e para que haveria de construir-se um caso? Quem constrói o caso? Da história à lógica. A crise do relato de caso em psicanálise: Falsas oposições; falsos dilemas. Função da supervisão, dos seminários clínicos, da apresentação de pacientes. Dos dois tipos de sequências nas construções de caso: As do início do tratamento; As do final. Os testemunhos de pase fazem parte da construção de um caso clínico? Essas e outras questões clínico-epistêmicas serão abordadas no seminário, onde eventualmente contaremos com convidados para apresentar casos e deixar-nos ensinar.

    Coordenação: Blanca Musachi Psicanalista, membro da Escola Brasileira de Psicanálise e da Associação Mundial de Psicanálise

    Datas do semestre: Março: 19/3; Abril: 26/4; maio: 21/5; junho:18/6; julho: 23/7.

  • 2020-05-29 18:30 - 2020-05-29 20:30

    Segundo Lacan, “a vida se estrutura a partir de um nó”[1] assim, parto das Peças Soltas e localizadas no corpo fragmentado, no Real, Simbólico e Imaginário disjuntos, na noção de sinthoma. Trata-se de “uma peça carente de função”[2], que se separa para disfuncionar e que permitiu Lacan encontrar em Joyce o que se faz de resíduo como eco da linguagem e com suas manobras, construir seu nó singular. Se a modernidade evidencia que não há relação sexual e se sabe que tudo é semblante, não é à toa que verificamos a insistência do retorno do Outro dos mandamentos em contraposição ao sinthoma, às peças soltas com a qual cabe a cada um encontrar uma função que sustente sua existência. É pela via dos nós que partiremos não sem rumo e sim pela experiência analítica, abertos à contingência para saber algo sobre a questão: De que modo a psicanálise serve à vida? [1] Lacan J.: A terceira, in Opção Lacaniana 62, dezembro de 2011. [2] Miller, J-A.: Bricolaje, in Piezas Sueltas, Ed Paidós, BA, 2013.

    Coordenação : Silvia Sato Psicanalista, membro de EBP/AMP

    Datas do semestre 25/04 (às 10h), 29/05, 19/06

  • 2020-06-06 10:00 - 2020-06-06 12:00

    A proposta deste Seminário é a de estudar um dos quatro conceitos fundamentais da psicanálise: o inconsciente, de Freud a Lacan. O que sabemos sobre o inconsciente? E de sua articulação? Nosso percurso incidirá sobre a passagem do saber sobre o inconsciente para o consentimento com a experiência do inconsciente na análise, do inconsciente transferencial em direção ao inconsciente real.

    Coordenação: Eliana Machado Figueiredo Membro da EBP/AMP

    Local: Rua Antônio Meyer, 228, Centro, Mogi das Cruzes

    Datas do Semestre: 07/03, 04/04, 09/05 e 06/06

  • 2020-06-18 17:00 - 2020-06-18 19:00

    Trata-se de um espaço para argumentar tudo o que podemos considerar obvio: Como se contrói um caso? Por que e para que haveria de construir-se um caso? Quem constrói o caso? Da história à lógica. A crise do relato de caso em psicanálise: Falsas oposições; falsos dilemas. Função da supervisão, dos seminários clínicos, da apresentação de pacientes. Dos dois tipos de sequências nas construções de caso: As do início do tratamento; As do final. Os testemunhos de pase fazem parte da construção de um caso clínico? Essas e outras questões clínico-epistêmicas serão abordadas no seminário, onde eventualmente contaremos com convidados para apresentar casos e deixar-nos ensinar.

    Coordenação: Blanca Musachi Psicanalista, membro da Escola Brasileira de Psicanálise e da Associação Mundial de Psicanálise

    Datas do semestre: Março: 19/3; Abril: 26/4; maio: 21/5; junho:18/6; julho: 23/7.

  • 2020-06-19 18:30 - 2020-06-19 20:30

    Segundo Lacan, “a vida se estrutura a partir de um nó”[1] assim, parto das Peças Soltas e localizadas no corpo fragmentado, no Real, Simbólico e Imaginário disjuntos, na noção de sinthoma. Trata-se de “uma peça carente de função”[2], que se separa para disfuncionar e que permitiu Lacan encontrar em Joyce o que se faz de resíduo como eco da linguagem e com suas manobras, construir seu nó singular. Se a modernidade evidencia que não há relação sexual e se sabe que tudo é semblante, não é à toa que verificamos a insistência do retorno do Outro dos mandamentos em contraposição ao sinthoma, às peças soltas com a qual cabe a cada um encontrar uma função que sustente sua existência. É pela via dos nós que partiremos não sem rumo e sim pela experiência analítica, abertos à contingência para saber algo sobre a questão: De que modo a psicanálise serve à vida? [1] Lacan J.: A terceira, in Opção Lacaniana 62, dezembro de 2011. [2] Miller, J-A.: Bricolaje, in Piezas Sueltas, Ed Paidós, BA, 2013.

    Coordenação : Silvia Sato Psicanalista, membro de EBP/AMP

    Datas do semestre 25/04 (às 10h), 29/05, 19/06

  • 2020-07-23 17:00 - 2020-07-23 19:00

    Trata-se de um espaço para argumentar tudo o que podemos considerar obvio: Como se contrói um caso? Por que e para que haveria de construir-se um caso? Quem constrói o caso? Da história à lógica. A crise do relato de caso em psicanálise: Falsas oposições; falsos dilemas. Função da supervisão, dos seminários clínicos, da apresentação de pacientes. Dos dois tipos de sequências nas construções de caso: As do início do tratamento; As do final. Os testemunhos de pase fazem parte da construção de um caso clínico? Essas e outras questões clínico-epistêmicas serão abordadas no seminário, onde eventualmente contaremos com convidados para apresentar casos e deixar-nos ensinar.

    Coordenação: Blanca Musachi Psicanalista, membro da Escola Brasileira de Psicanálise e da Associação Mundial de Psicanálise

    Datas do semestre: Março: 19/3; Abril: 26/4; maio: 21/5; junho:18/6; julho: 23/7.