Fale Conosco: (48)3222-2962

Seminário da Orientação Lacaniana

by secao_sc in

View Calendar
19-09-2018 20:30 - 22:00
Sede EBP Seção Santa Catarina
Phone:(48)3222-2962
Address: R. Prof. Airton Roberto de Oliveira, 1-71 - Itacorubi, Florianópolis - SC, 88034-050, Brasil

Caros colegas, convidamos mais uma vez para um esforço de elaboração a respeito do Curso de Orientação Lacaniana, ministrado por Jacque-Alain Miller. Nesta quarta-feira, 19/09, às 20:30, Leonardo Scofield falará sob o título “Ano Zero, Um”, ainda com base no curso ministrado em 24/06/2017, acessível em vídeo: https://www.lacan-tv.fr/video/cours-de-psychanalyse-1ere-partie-le-point-de-capiton/ ou em texto: http://www.eol.org.ar/template.asp?Sec=publicaciones&SubSec=on_line&File=on_line/jam/Otros-textos/17-06-24_Curso-de-psicoanalisis.html .
“Tudo começa sem ser destruído para ser levado a um nível superior”. Assim, Miller aponta uma direção após o ponto de capiton encontrado por ele com o significante "Ano Zero” do Campo Freudiano. Este é também um vetor de orientação que ecoa para a XIII Jornada da EBP-SC que não toma a revolução como norte operatório,  mas sim a subversão. Esta, por sua vez, não destrói o que houve, mas faz do resto uma escolha, o eleva a outro nível, “superior”, diz Miller. Seria este nível o da “heresia do sinthoma”?
O convite desta noite é para desfrutarmos do tempo de compreender que sucede o ato de Miller de tornar público seu posicionamento psicanalítico na política. Esta elaboração de saber torna-se mais importante para aqueles psicanalistas que têm o compromisso de sustentar uma ética e levá-la às consequências de sua prática. Ou seja, fazer da psicanálise algo que não se restrinja à clínica e que alcance em seu horizonte a “subjetividade de sua época”. Se tomarmos o ato de Miller, em 2017, como “O passe da Escola Sujeito” e que este interpreta a subjetividade de nossa época, quais efeitos podemos colher deste corte que reinstala um desejo? Como cada um, na  solidão com o que lhe causa, é atravessado por este corte e elege, a partir de seu sintoma, um modo de viver a psicanálise? Quais as consequências disso para nossa Escola?

Comments are closed.