Seminários 2021

Da Fantasia ao Sinthoma: o percurso de Lacan

  • Coordenação: Ana Lúcia Garcia de Freitas
  • Início: 02 de março
  • Datas: 02/03, 16/3, 06/04, 20/4, 04/05, 18/5, 01/06, 15/6, 06/07, 03/08, 17/08, 21/09, 05/10, 19/10, 16/11, 06/12.
  • Periodicidade: Terça-feira ( primeiras e terceiras terças-feiras de cada mês)
  • Horário:  20h
  • Local: Plataforma Google Meet
  • Contato: Ana Lúcia Garcia de Freitas ( 99612-1190 ) ou Lúcia Mariano ( 99262-7468 )

Ementa: Em 2021, seguiremos na perspectiva da formalização do objeto a, em algumas lições do seminário, livro 10, visando situar a virada de Lacan, no seu último ensino, sobre a orientação da clínica para o real. Este ponto implica o deslocamento da direção do final de análise, ou seja, da travessia da fantasia ao sinthoma. Do que se trata o atravessamento da fantasia? O que a noção de sinthoma vem acrescentar aos finais de análise? Como os passes nos ensinam acerca destas questões? Neste percurso, chegaremos ao fio que tem nos conduzido neste seminário.


Psicanálise com Crianças e Sexualidade Feminina

  • Coordenação: Ana Martha Wilson Maia. Colaboradora: Valéria Glioche
  • Início: 5 de março
  • Datas: 05/03, 09/04, 07/05, 11/06, 02/07, 06/08, 03/09, 01/10, 05/11 e 03/12
  • Periodicidade: sexta-feira, mensal
  • Horário: 12h30
  • Local: Google Meet
  • Contato: [email protected]

Ementa: “Ⱥ Mulher – nascer de um mal-entendido”, este é o nosso tema de trabalho para este ano. Ao longo de seu ensino, Lacan aborda de diferentes modos o que em 1980 chama de mal-entendido no encontro de dois seres falantes que não falam a mesma língua. Da “Comédia dos sexos” em torno do falo (anos 50), às fórmulas lógicas da sexuação (anos 70) e às formulações “a relação sexual não existe” e “A Mulher não existe”, nosso percurso visa o que a criança, como um parlêtre, faz com o trauma de nascer de um mal-entendido.


A função do amor nas modalidades sintomáticas

  • Coordenação: Angela Batista Colaboradores: Isabel Duarte, Priscila Segal, Cristiane Zeitoune
  • Início: 6 de março
  • Datas: 06/03, 03/04, 08/05, 05/06, 03/07.
  • Periodicidade: sábados mensal
  • Horário:  10h30
  • Local: Zoom
  • Contato: [email protected]

Ementa: Dando continuidade ao Seminário anterior vamos trabalhar a função do amor nas modalidades sintomáticas. Não há relação entre os sexos, entretanto há uma possível relação ao sintoma. Se o gozo isola o sujeito do Outro, torna
-Se necessário saber como cada um pode suprir essa ausência, com o amor, com a fantasia ou com o sintoma. O amor em Hamlet será nosso ponto de partida. Percorreremos vários momentos do ensino de Lacan em que nos deparamos com as formulações sobre o Amor. Do amor que permite o gozo condescender ao desejo, no Seminário livro 10, ao Seminário livro 20,onde o amor é suplência a não -relação sexual.


Autismo e Psicose Infantil da clínica à política e retorno

  • Coordenação: Ana Martha Wilson Maia
  • Início: 6 de março
  • Datas: 06/03, 10/04, 8/05, 12/06, 03/07, 07/08, 04/09, 02/10, 06/11 e 4/12
  • Periodicidade: sábado, mensal
  • Horário:  10h
  • Local: Google Meet
  • Contato: [email protected]

Ementa: O que difere o autismo da psicose como uma resposta do parlêtre ao trauma da língua? O que nos ensinam as crianças do Um sozinho sobre a estrutura autística? Como intervimos a partir de lalíngua e do S1? A leitura dos casos clínicos nos levou à relação de lalíngua com o furo e retomamos o que Éric Laurent propõe como a foraclusão do furo nos autismos. Assim que concluirmos o estudo deste conceito, o furo, nos Seminários de Lacan, seguiremos em 2021 com a relação entre lalíngua, S1 e letra.


Sinthoma e Corpo: variações e invenções.

  • Coordenação: Fátima Pinheiro
  • Início: 26 de março
  • Datas: 26/03, 30/04, 28/05, 25/06, 27/08, 24/09, 29/10, 26/11
  • Periodicidade: Mensal (últimas sextas-feiras do mês)
  • Horário:  14h
  • Local: Plataforma Jitsi Meet
  • Contato: whatsapp – (21) 991566931 (Fátima)

Ementa: Lacan definiu o sintoma, no final de seu ensino, como acontecimento de corpo, sendo este produto das contingências sucedidas nos primeiros anos, e que não cessa de se escrever a partir de então, o que faz de cada sujeito único. Esta singularidade, que parte do gozo de lalíngua, verificada nos testemunhos de passe de AEs e obras/poemas de artistas, e que implica um “savoir-y- faire” com o sinthoma, será o alvo e a proposta de investigação que nos colocará em trabalho no ano de 2021.


Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise

  • Coordenação: Maria Inês Lamy
  • Início: 05 de março
  • Datas: 05/03, 19/03, 16/04, 30/04, 14/05, 28/05, 11/06, 25/06, 09/07
  • Periodicidade: sextas-feiras, quinzenalmente
  • Horário: 11h30
  • Local: plataforma Zoom
  • Contato: mariainesl[email protected] / (21) 99649-7328

Ementa: O Seminário 11, que traz à luz os quatro conceitos fundamentais da psicanálise (inconsciente, repetição, transferência e pulsão), tem um lugar de destaque no ensino de Lacan como tempo de reafirmação e aprofundamento de sua orientação ética. Ao longo de 2020, o estudo dos conceitos de inconsciente e repetição nos conduziu a várias leituras, o que resultou em uma pesquisa pulsante e viva dos participantes. Localizando a origem da psicanálise no desejo de Freud, Lacan causa um efeito inspirador em seus leitores. Cabe a cada um percorrer seu próprio caminho sem se afastar, no entanto, das balizas psicanalíticas. Como dirá Lacan mais tarde: “Peguem exemplo aí, e não me imitem.”1 Convidamos os/as colegas a se unirem ao nosso trabalho.


Leituras do Seminário de Jacques Lacan, livro I, Os Escritos Técnicos de Freud.

(entremeadas pelos estudo de alguns testemunhos de passe)
  • Coordenação: Maria Isabel de Araújo Lins
  • Início: 05 de março
  • Datas: 05/03, 12/03, 26/03, 09/04, 23/04, 07/05, 21/05, 04/06, 18/06, 02/07, 16/07, 30/07, 06/08, 20/08, 10/09, 24/09, 08/10, 22/10, 05/11, 19/11, 03/12, 17/12
  • Periodicidade: Sextas-feira, a cada 15 dias
  • Horário:  10h30
  • Local: Rua Jardim Botânico, 674/sala 511
  • Contato: [email protected] / (21) 98229-9416

Ementa: Neste primeiro semestre trabalharemos alguns passes apresentados na AMP- EBP, assim como os próximos capítulos dos Escritos Técnicos de Freud, livro cuja leitura foi iniciada no ano passado.
Paramos no capítulo VI “Análise do discurso e análise do eu” para nos dedicarmos a uma pesquisa, que naquele momento se mostrava apropriada, sobre a Verneinung de Freud. Para isso revisitamos a tradução feita pelo “Le Coq Heron”, boletim de um Groupe d’Étude du Centre Étienne-Marcel, assim como os textos das intervenções de Jean Hyppolite, em resposta ao insistente convite do próprio Lacan para que este as apresentasse no seu Seminário e que constam dos Escritos. Dada a importância deste conceito freudiano, pretendo retornar a ele, contando agora com aportes de Viviane de Lamare, a partir de suas leituras de Hegel. Pretendo acabar a leitura dos capítulos restantes dos Escritos técnicos de Freud, pródigos em ensinamentos, que em muito contribuem para nosso estudo da teoria psicanalítica e de suas técnicas, sempre em parceria com a nossa prática.
É assim que acolhemos a noção de legado, considerada por Lacan como “O centro de gravidade do sujeito, essa síntese presente, do passado: a história. Só a perspectiva da história e o reconhecimento permitem definir o que conta para o sujeito”.


Invenções na clínica e na cultura – lições de Lacan

  • Coordenação: Maria Lidia Oliveira de Arraes Alencar
  • Início: 11 de março
  • Datas: 11/03, 25/03, 08/04, 22/04, 06/05, 20/05,10/06, 24/06, 08/07, 12/08, 26/08, 09/09, 23/09, 08/10, 22/10, 04/11, 18/11, 02/12
  • Periodicidade: quintas-feiras, quinzenalmente
  • Horário: 20h
  • Local: plataforma on-line (Zoom)
  • Contato: (21)993682525 (Watsapp /Maria Lidia Alencar)

Ementa:
A invenção subjetiva na clínica e na cultura se mantém desafiando os analistas na cena contemporânea. Nosso Seminário manterá a discussão do tema a partir da Ética da Psicanálise, tanto para abordar a produção na cultura (paradoxos do gozo, criação, sublimação) quanto na escuta clínica (o avesso da moral, o preço civilizatório). As apresentações de fragmentos clínicos e os testemunhos de ações no campo da cultura continuarão nos servindo de convite, nos fazendo articular, em 2021, em torno da segregação, racismo, exílio, cultura do ódio, queda de barreiras na arte, corpos na cidade, invisibilidade, ou seja, de tudo que constrói laço social e procura responder à queda dos semblantes hoje.


O amor e o gozo no fio do discurso analítico

  • Coordenação: Maria Silvia Garcia Fernandez Hanna
  • Início: 06 de março
  • Datas: 06/03, 20/03, 03/04, 17/04, 15/05, 29/05, 12/06, 26/06, 07/08, 21/08, 04/09, 18/09, 02/10, 16/10, 30/10, 13/11, 27/11.
  • Periodicidade: quinzenal
  • Horário:  9h30
  • Local: Plataforma Zoom
  • Contato: [email protected] ou whatsapp 21 999630978

Ementa: O título do seminário livro 20 Mais, ainda é o nome próprio da falha no Outro que origina a demanda de amor, diz J. Lacan. Tomaremos esse nome próprio para iniciar um percurso de leitura e comentário do seminário livro 20, durante o qual destacaremos as novas formulações apresentadas sobre o amor e o gozo, interrogando os efeitos que as mesmas acarretam no fazer do psicanalista. Incluiremos textos de outros autores, a presença de colegas que convidaremos oportunamente e os casos dos participantes.


CLÍNICA DO REAL: Conceitos da clínica psicanalítica e Construção do caso clínico

  • Coordenação: Mirta Zbrun
  • Início: 05 de março
  • Datas:  05/03, 19/03, 09/04, 23/04, 14/05, 28/05, 10/06, 24/06, 06/08 e 20/08, 03/07, 17/07, 01/10, 15/10; 05/11, 19/11
  • Periodicidade: Sextas feiras. Quinzenal.
  • Horário:  15h30
  • Local: Plataforma Jitsi Meet
  • Contato: [email protected]
  • Whats App: 21 991912830

Ementa: Estudo do Curso `Um esforço de poesia` de J.- A. Miller e do Seminário livro 20. …mais ainda` de Jacques Lacan.
Estudo da “construção do caso clínico” a partir dos conceitos fundamentais da clínica psicanalítica, analisar como no relato do caso o desejo do analista assinala o ponto de capitón da experiencia, comprovar como o caso a ser construído exige um ´esforço de poesia´.


As Estruturas Clínicas – de Freud a Lacan

Coordenação: Rachel Amin com participação de Lucia Helena Cunha
Início: 4 de março
Datas: 04/03, 18/03, 15/04, 29/04, 13/05, 27/05, 10/06, 24/06, 08/07
Periodicidade: quinzenalmente às quintas-feiras
Horário:  19h15
Local: Plataforma Meet on-line.
Contato: [email protected]\\(21)999788821

Ementa: Desde 2019 nós estamos investigando as estruturas clínicas de Freud a Lacan.
Este ano nos dedicaremos a trabalhar os casos clínicos freudianos da neurose (Dora, Hans, Homen dos ratos) trabalharemos O Homem dos lobos e entraremos na psicose através do Caso Presidente Schreber. Tomaremos os aportes feitos por Lacan para estes casos clínicos com o intuito de acrescentar e enriquecer nosso percurso


Os usos do sintoma

  • Coordenação: Eliana Bentes Castro
  • Início: 1º de março
  • Datas: 15/03, 29/03, 12/04, 26/04, 10/05, 24/05, 07/06, 21/06
  • Periodicidade: segundas, quinzenais
  • Horário: 18h30
  • Local: Plataforma Google meet
  • Contato: [email protected] e whatsapp (21)99274-9119

Ementa: O sintoma designa uma disfunção. Há sintoma quando algo não funciona como deveria. Ao mesmo tempo, a palavra sintoma agrega algo à disfunção. Agrega que neste fracasso do funcionamento se revela algo verdadeiro.” Miller, El partenaire-síntoma. Lacan foi até o limite deste uso da palavra sintoma ao identificar sintoma e verdade. Sintoma é verdade. Parceiro sintoma é um convite a situar o parceiro em termos de gozo, quer dizer, não em termos de interlocução. O parceiro aqui não é tanto aquele que responde ao que faz falta, como o que se insere no processo sintomático… este processo libera do gozo aquele que não podemos mais chamar sujeito…o qualificamos de ser falante, incluindo aí seu corpo de gozo. Seguiremos este estudo a partir do capitulo VIII, “O conceito do gozo.”Continuarei trabalhando a cada etapa o depoimento de um passe. Começamos com o de Graciela Brodsky, em seguida o de Rômulo Ferreira e retomaremos com o de Irene Kuperwajs, “Soltar a voz” – Opção Lacaniana, 82- pg135

X